segunda-feira, março 26, 2007

Indeléveis Palavras


São tantas as vezes que tentamos libertar uma ideia e ela se queda embrulhada na nossa cabeça... sentimos, mas não conseguimos dar a devida expressão, pelo menos em toda a sua amplitude.

Por outro lado, penso, são também muitas as vezes que nos deparamos com pequenas frases que reunem tudo o que pensámos e não conseguimos expressar... Por estranha lucidez, por inteligência ou simples iluminação, outros reuniram meia dúzia de palavras que sintetizam todos os nossos raciocínios tortuosos e sensibilidade... Palavras que queriamos ter sido nós a dizer, não pela procura de qualquer mérito, simplesmente para atestar que sabemos exteriorizar com competência o que nos vai na alma...

E é por isso que se me gravam na memória indeléveis palavras... porque me facilita ter devidamente catalogadas pequenas frases que encerram grandes conteúdos, ou expressam uma grande carga emocional...


Sem razão aparente, hoje sinto-me inquieto... E facilmente recorro às palavras de Tolstoi, que tinha em mim guardadas e que pululam na minha cabeça:

"Sinto em mim um excesso de energia que não cabe numa vida tranquila"

6 comentários:

Cuze disse...

Ás vezes tb me sinto assim, capaz de aguentar o mundo com os meus braços, como Atlas!!
Hasta
Abraço

Pedro Ferro disse...

Eu é q ando agora com uma lesão no ombro... pq se não! ;)

Tangerina disse...

Entendo-te perfeitamnete. É de louvar esse truque de 'guardar' as palavras certeiras dos outros para nos traduzir.
Gostei de ler-te.
Bjo tangerínico:)

Pedro Ferro disse...

Agradeço-te o beijo citrínico, e obrigado pelo comentário. Aparece!

Lara disse...

:)
É impossivel passar por aqui e sair sem levar a alma cheia!...
É dificil passar por aqui sem comentar (e de hoje não passa!)...
É impossivel sair daqui e não voltar!...

Parabéns pelo que escreves, pelo que pensas e pela forma como tornas indeléveis as palavras.

Pedro Ferro disse...

Uau!

Obrigado Lara pelo comentário tão amistoso.

Se voltares é possível que vejas isto mais ou menos na mesma, agora salga-se a alma no vagueares: http://vagueares.blogspot.com

Aparece por lá!