terça-feira, fevereiro 06, 2007

O Referendo

Pintura de Dan Johnson - Huntington Beach Kids

Para ser sincero tem me faltado a paciência p esgrimir posições no que toca a este assunto... Só me tem apetecido mandar para a a put@ q os pariu aqueles que defendem o NÃO apoiando-se numa lógica matemática de 2+2=4 como se a vida se regesse por tais regras.

Acho que tirando umas quantas parteiras de vão de escada, ninguém será a favor do aborto... Existe uma vida em potencial em cada ovo concebido e todos gostariamos de viver no mundo ideal (ou idealizado) em que essa vida fosse SEMPRE protegida... Penso, aliás, que deveremos conduzir a sociedade para esse fim: para um planeamento familiar sério, para a protecção das mães pobres, para a resolução dos problemas que geram guetos sociais tantas vezes berço da gravidez indesejada ou de mães adolescentes. Mas devemos também lutar contra a intolerância que regra o povão, que não se inibe de apontar o dedo a quem tem filhos sem ter condições para os ter, mas também a quem os aborta tomados pelo desespero...


Pintura de Kevin Short - Watching Time Go By


A vida é cabra e tem muito pouco de lógico ou de racional... é uma ilusão pensar que somos nós que a guiamos ou que fazemos dela o que queremos... De repente levamos com cada safanão!... Toma, que agora ficas sem este ente querido... Toma, que lá se vai a saúde... Toma, que agora ficas pobre e a passar fome... E também toma, que tás grávida mesmo sem o desejares.

Deviamos entender este ponto... que a vida distorce a lógica... que a fronteira entre o bem e o mal muitas vezes se esbate ao ponto de desaparecer, que nem sempre há lugar para fazermos a opção correcta ou para ter uma boa postura ou o comportamento recto.

Devemos proteger a vida e a sua qualidade, pensar na vida gerada, mas também na vida da Mulher e no seu direito de opção...

Se nalguns casos constato que deveriam ser os fetos a abortar as mães (como aquelas que pretendem dar conta da gravidez porque estavam mesmo agora a pensar comprar o Mercedes ou aquele conjunto super giro de malas Louis Vuitton), noutros casos simplesmente abstenho-me de opinar pq simplesmente a minha sentença não terá qualquer valor... Se a vida leva algumas mulheres a optar pela interrupção da gravidez, que ao menos consigamos ter a decência de viver numa sociedade que não as incrimine...

Outra questão prende-se com o facto de ser o estado a patrocionar esses actos... Principalmente quando o mesmo ainda não dá uma resposta decente a um acompanhamento médico de uma gravidez ou de uma simples cárie... Existem prioridades... E o aborto pago pelo estado, a meu ver, ainda terá de esperar!

4 comentários:

AlgarveSurfPhotos disse...

Gostei muito do teu texto. Afinal de contas a vida é tão cheia de falta de lógica que não se percebe como existem pessoas que se fazem passar por Deus todo sabedor e todo julgador. Eu por mim voto sim, porque prefiro o mal menor à realidade condenadora que não resolve e apenas julga.
Quanto ao facto do Estado gastar dinheiro com isso... já gasta em tanta coisa bem pior que não serão concerteza os abortos a levar o país à banca rota...

Cuze disse...

como já tinha tido oportunidade de exprimir la no atitude, concordo em absoluto com o teu texto, e eu não o faria melhor!
Por isso mesmo, parabéns pedro!
abraço

vela ao vento disse...

Bem, eu ainda não me pronuciei sobre este assunto, tenho uma forma de abordar o assunto que vai contra o que a maioria pensa, portanto como não gosto de grandes discussões daí remeto-me ao silêncio.
Mas, passei por aqui e li o teu texto, acho que és coerente.
Acho que aqui a coerência é essencial,e como tal acho que a nossa sociedade não está preparada para um sim, acho que temos que ter muita atenção ao pais em que vivemos e nunca nos poderemos comparar com os paises nórdicos!
Acho que cada um tem o direito de decidir pela sua própria vida, mas temo pelo pais em que vievemos e no isso se poderia tornar.
Acho sim, que o pais tem que investir em educação, acho que é por aí!

;)

Fica Bem! Não disse nada lá no atitude, porque acho que'' ia tudo cair em cima de mim''...e não me apeteceu!

Pedro Ferro disse...

Existem vários partidários do NÃO a quem dou muito crédito e revejo muita coerência... Talvez o meu texto no seu início aparente muita rudeza, mas é a lógica linear que sustenta muitos dos q votam não, que me faz impressão... tipo é mau matar "criancinhas", logo sou contra o aborto... obviamente q a questão n fica por aqui...

Convém salientar que nem o SIM, nem o NÃO, me vão deixar descansado ou satisfeito... O sim n vai resolver o problema, mas a meu ver pode ser um passo em frente na evolução do problema... Sou apologista que n são as medidas proibicionistas que resolvem os problemas.